“Nós consideramos que se trata de mais um passo no sentido da privatização da TAP, em si mesmo um crime contra o país, contra os interesses nacionais e que a ser concretizado significaria a prazo a destruição da empresa”, afirmou à agência Lusa Vasco Cardoso, da comissão política do PCP.




TVI



“Não faz sentido o Estado português dar dinheiro a empresas aéreas low cost”, disse Vasco Cardoso, salientando que aquele dinheiro é um recurso público que pode ser investido na TAP.


“Acreditamos que seja pela luta dos trabalhadores, seja pela reação enérgica do povo português que este processo de privatização pode e deve ser derrotado a bem da TAP e dos interesses nacionais”, concluiu.