"É uma verdadeira farsa, porque tivemos temas tabu. Em particular a questão da dívida, do euro, do tratado orçamental, que impõe aos países mais fracos, como o nosso respeito por um défice orçamental que é apenas para cumprir por esses países mais fracos", criticou.