O presidente da Câmara do Porto reclamou hoje justiça para o Norte na distribuição dos fundos de coesão, afirmando que estes só vêm para Portugal «porque há regiões que estão abaixo da média europeia».

No jantar-debate sobre o tema «O Porto que queremos», organizado pela Associação Portuguesa de Gestão e Engenharia Industrial (APGEI), Rui Moreira endureceu o discurso relativamente ao próximo quadro comunitário de apoio, começando por dizer que «se Portugal tem hoje ainda condições para recolher fundos de coesão é exatamente porque tem regiões como o Norte, que está abaixo da média europeia».

«Temos todo o direito, acima de tudo de reclamar uma coisa: não queiram por favor manter a nossa região como uma região pobre apenas para que Portugal possa continuar durante muitos anos a receber fundos de coesão», criticou.

O presidente independente da Câmara do Porto condenou ainda o facto destes fundos de coesão serem depois aplicados não no Porto, «mas noutro lado para que o círculo nunca se inverta, para que se mantenha sempre o mesmo».

«Para que depois digam: não, são precisos fundos de coesão porque, coitadinhos, os do Norte são muito fracos, são muito pobres. Esta não é uma batalha por razões bairristas, é uma razão de justiça», enfatizou.

Rui Moreira reiterou que os fundos de coesão só vêm para Portugal «porque há regiões que estão abaixo da média europeia».

«Mas não tentem perpetuar isso. Não tentem fazer de nós os desgraçados apenas para virem fundos europeus que depois são desviados», sublinhou.