A Câmara Municipal do Funchal iniciou esta quinta-feira o processo para a redução dos cargos de chefia, que vão passar de 75 para 36, informou o presidente da autarquia, Paulo Cafôfo.

"Estamos a falar de diretores de departamento, chefes de divisão e chefes de unidade. Todos vão ser alvo de concurso público no sentido de escolher 36, o que traduz uma redução brutal", explicou o autarca, realçando que o objetivo é tornar a Câmara "mais leve", mas também "mais eficiente" na qualidade do serviço que presta.

A deliberação que nomeia o júri para os concursos dos cargos dirigentes foi hoje aprovada com votos favoráveis da Coligação Mudança (PS, BE, PTP, MPT,PAN), que lidera a autarquia, e do CDS-PP. Os vereadores do PSD e da CDU abstiveram-se.

O processo segue agora para a Assembleia Municipal.

"Pensamos que esta redução se justifica. Estamos a falar de uma nova etapa e nós estamos a apostar muito na modernização administrativa", sublinhou Paulo Cafôfo.


A Câmara do Funchal decidiu, por outro lado, avançar com a apresentação da nova imagem do Teatro Municipal Baltazar Dias, nomeadamente ao nível do logótipo e do ‘site' na internet.

"Temos uma casa centenária, que é a principal casa da cultura da região, um espaço digno e magnífico. Queremos dar um salto em grande", afirmou o autarca, realçando que o recinto registou um aumento de 104% do número de sessões e de 120% de público entre 2012 e 2014.

Paulo Cafôfo destacou, ainda, a criação de condições de acessibilidade para pessoas com dificuldades de locomoção, bem como a remodelação nos camarins dos artistas, e revelou que a câmara vai, agora, estabelecer uma política de bilhetes diferenciados, de modo a reduzir o preço nos espaços com menor visibilidade.