O Presidente francês considerou esta terça-feira, na mensagem que deixou no livro de honra do Palácio de Belém, em Lisboa, que Portugal e França "partilham os mesmos valores de liberdade e a mesma visão da Europa".

"A minha visita testemunha a profunda amizade que une os dois povos nestas circunstâncias difíceis que a França vive", sublinhou François Hollande, na mesma mensagem.

Hollande e o Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, estiveram reunidos cerca de 30 minutos, antes de um almoço de trabalho.

O chefe de Estado francês chegou ao Palácio de Belém pelas 13:30, 45 minutos mais tarde do que o previsto, onde foi recebido por Marcelo Rebelo de Sousa, com honras militares.

No Pátio dos Bichos, François Hollande e Marcelo Rebelo de Sousa ouviram os hinos nacionais de França e de Portugal e passaram em revista a guarda de honra.

Depois, os dois chefes de Estado subiram a escada que dá acesso à Sala das Bicas, onde tiraram uma fotografia com as bandeiras de França, de Portugal e da União Europeia por trás, e François Hollande assinou o livro de honra.

Os dois presidentes seguiram para um encontro a sós, após o qual haverá um almoço de trabalho em que estará também o primeiro-ministro, António Costa.

No final, Marcelo Rebelo de Sousa e François Hollande prestaram declarações à comunicação social.

O Presidente francês defendeu um reforço da segurança na Europa, para garantir a manutenção dos valores da liberdade e da democracia.

"No quadro do novo impulso que pretendemos dar à construção europeia, a primeira prioridade é a proteção, a defesa a segurança das nossas fronteiras", declarou François Hollande, no final de um encontro com o chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, no palácio de Belém.

"Há atualmente um dever maior que devemos cumprir: proteger os europeus, que é o meu dever, e proteger os europeus, que é a nossa responsabilidade", sublinhou Hollande, em declarações aos jornalistas ao lado de Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente da República francesa realiza esta terça-feira uma curta visita de trabalho a Portugal, que inclui também uma reunião com António Costa, que estava marcada para as 14:45, na residência oficial do primeiro-ministro.

Esta deslocação de François Hollande a Portugal foi encurtada e todos os eventos festivos foram cancelados, na sequência do atentado que matou 84 pessoas em Nice.

Pelo mesmo motivo, Hollande cancelou parte de uma digressão europeia para discutir o Brexit, e já não viajará para a Áustria, a Eslováquia e a República Checa na quarta-feira, mantendo apenas visitas a Portugal, hoje, e à Irlanda, na quinta-feira.