O cabeça de lista socialista nas eleições europeias, Francisco Assis, saiu hoje do congresso do PS sem discursar, apesar de ter sido inscrito ao final da manhã, e não estará presente na sessão de encerramento no domingo.

Antes de regressar ao Porto, Francisco Assis recusou-se a fazer declarações à agência Lusa sobre o sucedido, apenas adiantando que, por motivos de ordem pessoal, não poderá estar presente no último dia do congresso.

Um colaborador do eurodeputado disse à agência Lusa que Francisco Assis foi inscrito na mesa do congresso «logo após o fim da sessão de abertura» e que, ao longo da tarde, «ninguém deu indicação sobre o período em que poderia falar».

Em matéria política, o eurodeputado do PS defendeu nas televisões a possibilidade de se equacionar uma candidatura presidencial de Jaime Gama.

Assis discordou também de alguns discursos proferidos ao longo da tarde, em particular o do líder parlamentar, Ferro Rodrigues, considerando que entendimentos com partidos à direita dos socialistas, designadamente o PSD, apenas serviriam para reforçar os populismos.

Francisco Assis defende antes a tese de que "discursos de fantasia de esquerda" é que podem favorecer a emergência de populismos.