O cabeça de lista socialista às europeias, Francisco Assis, repudiou esta sexta-feira a ameaça da Comissão Europeia ao Estado Português sobre o processo de consolidação orçamental, defendendo que esta atuação de Bruxelas prova a necessidade de mudança política.

Segundo o Diário de Notícias, a Comissão Europeia avisa o Governo português que, se o processo de consolidação orçamental for travado, os mercados castigarão Portugal, levando o país a ser sujeito a um segundo resgate.

Falando aos jornalistas antes de fazer uma viagem de comboio entre a Amora (Seixal) e Coina (Barreiro), Francisco Assis criticou a atitude de Bruxelas: «Vejo mais uma vez a necessidade de mudar a política na Europa, além de mudarmos em Portugal. O país está de novo perante um quadro recessivo, mas a solução não passa por ameaças da Comissão Europeia ao Estado Português», defendeu Francisco Assis.

Para Francisco Assis, «um dos problemas que efetivamente se colocam é precisamente o ritmo da consolidação orçamental, numa perspetiva de compatibilidade com o crescimento da economia».

«Creio que não é com o lançamento de suspeitas e de ameaças a Portugal, por parte da Comissão Europeia, que seja a melhor forme de se definir o caminho da União Europeia e do país. Esta atuação da Comissão Europeia vem reforçar a ideia de que é preciso uma nova política europeia. Da parte do Governo português, evidentemente, deveria haver uma posição de outra exigência face à Comissão Europeia», insistiu o cabeça de lista do PS ao Parlamento Europeu.

Depois destas declarações, Francisco Assis apanhou na estação da Amora um comboio até à Coina, já no concelho do Barreiro, percurso que demorou dez minutos.

Francisco Assis disse estar habituado a viajar de comboio, ultimamente com maior frequência no pendular entre Lisboa e o Porto.

No entanto, o cabeça de lista socialista referiu que, enquanto eurodeputado, fez várias vezes viagens de TGV, sobretudo entre Bruxelas e Paris.

Menos habituado pareceu estar Francisco Assis no primeiro ponto do programa no distrito de Setúbal, uma visita a um lar de idosos no Seixal, que também tem integrada uma creche.

Acompanhado pelos deputados socialistas Eduardo Cabrita, Eurídice Pereira e Catarina Marcelino, o «número um» do PS visitou rapidamente o lar e, ao contrário de outros políticos, passou rapidamente pelas salas de estar dos idosos e não se esforçou por meter conversa com eles diante das câmaras de televisão.