O Partido Socialista voltou a criticar declarações do Presidente da República, desta vez a propósito da Grécia. O líder parlamentar do PS defende que as regras europeias que Cavaco Silva disse que é preciso respeitar - e que Atenas não pode ser exceção - "deram péssimo resultado". 

"As regras que o Presidente da República fala na Grécia derem péssimo resultado. Aquilo que aconteceu foi uma austeridade absolutamente desvairada, que levou a quedas do PIB e aumentos do desemprego ainda maiores do que cá, que conduziram a uma situação insustentável"

Ferro Rodrigues defendeu que é "natural" que os gregos e o seu governo queiram sair da situação em que se encontram. Apelou, depois, a que se saiba, depois da reunião decisiva do Eurogrupo desta quinta-feira, qual é a verdade e que propostas estão em cima da mesa para resolver o problema.

"Estamos perante uma questão que exige bom senso de todos e que não tem nada a ver com uma lógica tipo professor primário. Está em causa o futuro da Europa", avisou o ex-secretário-geral do PS.

Sobre se num caso de grexit, o PS entende que Portugal pode cair a seguir - o cenário macroeconómico do PS fez as contas a essa hipótese -, Ferro Rodrigues preferiu não entrar em especulações.

"À medida que a situação for evoluindo, evidentemente que os partidos terão uma palavra a dizer", afirmou.  

O líder parlamentar socialista assinalou que ainda estamos numa fase final de negociação e que "não há nenhuma certeza do que vai acontecer".

Os últimos dias estiveram marcados por várias críticas dos socialistas à atuação do Presidente da República, nomeadamente quando revelou estar "aliviado" com a privatização da TAP e, por outro lado, com o seu discurso do 10 de junho