"Não houve recuo absolutamente nenhum, porque aquilo que era um compromisso fundamental do PS, que foi assumido nos seus pré-projetos e na sua Comissão Política, era o de fazer da redução da TSU dos trabalhadores uma diminuição progressiva, gradual e apenas circunstancial, sendo depois reposta. Essa questão sempre foi colocada assim, ou seja, como uma questão importantíssima para melhorar o poder de compra e para dar capacidade de aumentar a procura interna", sustentou o presidente do Grupo Parlamentar socialista.







"programa com medidas concretas"