O líder parlamentar do PS, Eduardo Ferro Rodrigues, afirmou esta quarta-feira que a bancada socialista vai este ano distribuir por mais deputados as intervenções políticas no debate na generalidade do Orçamento do Estado para 2015, que se inicia quinta-feira.

 

Ao contrário do que se passou sobretudo nos dois últimos debates do Orçamento do Estado, em que o ex-líder António José Seguro foi a figura central e preencheu grande parte dos tempos disponíveis para intervenções do PS, a direção parlamentar de Ferro Rodrigues decidiu mudar de orientação.

 

«As intervenções estarão mais distribuídas entre os deputados. O PS é um partido com uma forte cultura de participação democrática», disse à agência Lusa o presidente do Grupo Parlamentar do PS.

 

Até sexta-feira, Ferro Rodrigues e o vice-presidente do Grupo Parlamentar do PS Vieira da Silva, que coordena as questões de finanças neste grupo parlamentar, serão dois dos principais protagonistas ao longo do debate orçamental na generalidade.

 

«Mas haverá agora mais deputados a falar», referiu o ex-secretário-geral do PS, recusando-se para já a indicar outros nomes de deputados que terão participação ativa na discussão.

 

Ao longo dos dois dias de debate, Ferro Rodrigues referiu que o objetivo do PS passará por «demonstrar que a proposta do Governo de Orçamento é má e merece naturalmente o voto contra».

 

«Um objetivo que penso que é consensual no país. Entre terça-feira e hoje [quarta-feira], recebemos parceiros sociais, a Associação Nacional de Municípios Portugueses e a Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE), e todos criticaram aspetos centrais da proposta do Governo», referiu ainda o presidente do Grupo Parlamentar do PS.