Emprego «à custa de estágios»



«Foi o PS que, há um ano, que disse que Portugal caminharia inevitavelmente para o segundo resgate e que o orçamento para este ano era inexequível», disse, acusando: «Abona mais as projecões que fizemos e que foram cumpridas do que as feitas pelo PS que falharam».










«Vamos saber afinal se existem ou não pessoas a trabalhar sem receberem salário, vamos então falar de que economia e de que emprego está a gerar este Governo».




E o mexilhão?





«Está a ofender milhares de portugueses que sofreram duramente, com o aumento do desemprego, que viram pensões e salários ou cortados ou congelados. Em termos estatísticos, hoje existem mais 600 mil pobres com o seu Governo».



«Todos fomos chamados a contribuir. A ideia de que só uns pagaram a fatura é falsa. A crise poderia ter sido uma oportunidade para agravar as desigualdades e não agravou».


fez um balanço de 2014

privatização da TAP foi outro dos assuntos em destaque

momento mais quente no Parlamento