O candidato socialista e presidente do município de Lisboa, Fernando Medina, defendeu esta quinta-feira que a capital portuguesa deve aproveitar “a oportunidade” gerada pela saída do Reino Unido da União Europeia, o Brexit, para fixar escritórios de empresas.

O Brexit é uma decisão legítima dos ingleses, mas é também uma oportunidade que temos de saber aproveitar de deslocalização de empresas e de pessoas qualificadas para a cidade de Lisboa. Vamos fazê-lo”, disse Fernando Medina.

Falando na freguesia das Avenidas Novas após uma visita às instalações da ‘startup’ portuguesa Aptoide, que se afirma como maior plataforma independente de aplicações para Android, o candidato propôs a criação de um “programa de alargamento rápido dos escritórios na cidade de Lisboa para se poder aproveitar a deslocalização que o Brexit está a causar”.

Num dia dedicado à Economia, e que contou com a presença do ministro das Finanças, Mário Centeno, Fernando Medina apontou que outras das medidas do programa do PS é dar “um apoio particular a toda esta comunidade empreendedora, […] seja em espaços, seja em acesso a mercados ou a outras empresas iguais e semelhantes para que daqui possa nascer a inovação”.

Não há futuro na cidade de Lisboa, uma cidade desenvolvida, uma cidade coesa e uma cidade avançada, se não tiver no centro da sua prioridade mais e melhor emprego”, vincou.

A empresa hoje visitada por Fernando Medina foi criada em 2009 e integrou a incubadora de empresas apoiada pelo município Startup Lisboa.

De acordo com Álvaro Pinto, um dos fundadores, a Aptoide emprega cerca de 85 pessoas de 15 nacionalidades, em escritórios localizados em Lisboa, mas também na Ásia (China e Singapura).

Frisando que a plataforma se diferencia do Google Play e da App Store por ser “aberta e colaborativa”, o responsável falou em 750 mil aplicações disponíveis e em 200 milhões de utilizadores, 20 mil dos quais ativos todos os meses.

“Este é um exemplo do que queremos continuar a fazer no futuro: mais emprego de qualidade, mais empresas a partir de Lisboa a produzir para o mundo”, frisou Fernando Medina.

Nas eleições de 1 de outubro concorrem à presidência da Câmara de Lisboa Assunção Cristas (CDS-PP/MPT/PPM), João Ferreira (CDU), Ricardo Robles (BE), Teresa Leal Coelho (PSD), o atual presidente, Fernando Medina (PS), Inês Sousa Real (PAN), Joana Amaral Dias (Nós, Cidadãos!), Carlos Teixeira (PDR/JPP), António Arruda (PURP), José Pinto-Coelho (PNR), Amândio Madaleno (PTP) e Luís Júdice (PCTP-MRPP).