O deputado social-democrata Feliciano Barreiras Duarte afirmou que os portugueses vão ter de escolher entre quem chamou e quem mandou a troika embora, culpando governantes socialistas «encantatórios» pelos últimos três anos de «suor e lágrimas».

«Esses políticos encantatórios exibiam uma certeza que custou e ainda custa e, infelizmente, ainda irá custar muito caro aos portugueses, por muitos e muitos anos», disse no debate sobre o estado da Nação, no Parlamento.

O parlamentar «laranja» reconheceu que «os últimos três anos foram muito difíceis, um caminho feito de suor e lágrimas, com muitos sacrifícios sociais e uma austeridade que atingiu quase todas as famílias portuguesas», embora frisando que já se pode «olhar para trás» e confirmar «que o pior já passou».

«(Ao Governo da maioria PSD/CDS-PP) Coube a difícil e tantas vezes incompreendida tarefa de fazer atravessar o país por um programa que se destinou a corrigir a trajetória de colapso para que a irresponsabilidade dos governos do PS arrastaram o país», continuou.

Barreiras Duarte sublinhou que Portugal, em 2011, «era o país em que os governantes tinham ideias mirabolantes, projetavam aeroportos e TGV, endividaram gerações inteiras com SCUT e outras parcerias, ao género "faça agora, pague depois", "goze o presente, hipoteque o futuro"».

O deputado do PSD criticou ainda a oposição por fazer uma «espécie de feira das propostas porquanto nenhuma delas é viável».

«Prometem crescimento económico, mas não dizem como. Prometem tudo alterar na Europa, mas também não dizem como. Prometem mobilizar o país e fazer tudo ao contrário daquilo para que eles próprios atiraram o país quando chamaram a troika», criticou, terminando com a questão dirigida aos portugueses: «querem o regresso daqueles que chamaram a troika ou preferem antes quem mandou a troika embora?»

Acompanhe AO MINUTO o debate parlamentar sobre o Estado da nação