Era para ser apenas mais uma exposição na Assembleia da República, mas gerou logo polémica antes da estreia, que acabou por aconteceu esta quinta-feira. Deputados do   PCP, BE e PEV contestaram a   exposição «Cem anos de Presidência», por reunir bustos de Presidentes também ligados à época do fascismo. Na inauguração, o próprio artista plástico que o concebeu diz que, «pessoalmente», também não gosta do resultado, mas referia-se ao plano artístico, por se afastar do seu registo habitual. 

«Pessoalmente, também não gosto», começou por dizer Joaquim Esteves, explicando que é um caricaturista, mas que «pura e simplesmente [os bustos] retratam o que é a forma».  Fê-los a convite da Câmara Municipal de Barcelos.

Na breve cerimónia de inauguração,  num dos corredores do andar nobre da Assembleia da República, e  que não contou com a presença dos deputados que a contestaram, o artista disse que, relativamente à polémica, afirmou apenas um princípio: «Não concordando contigo, tudo farei para que possas expressar a tua opinião», cita a Lusa.

O presidente da comissão de Educação, Cultura e Ciência, Abel Batista, reiterou a ideia de que a exposição não visa qualquer homenagem aos presidentes da República do período da ditadura, afirmando que é apenas «um relato descritivo». «Numa democracia há lugar para todos», sustentou, acrescentando que «se há uma homenagem é aos artistas plásticos» de Barcelos, terra com tradições na olaria e onde «nasceu um símbolo nacional, o galo de Barcelos».

Os bustos em barro dos 18 presidentes da República dos últimos cem anos estão expostos em dois corredores do andar nobre da Assembleia da República, encimados por cartazes com referências biográficas e cronológicas.

Tal foi a polémica que chegou mesmo a haver um requerimento do PCP para a suspensão da exposição, que foi chumbado pela maioria PSD/CDS e pelo PS.

Hoje, a vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Barcelos, Maria Elisa Braga, disse que a exposição foi concebida para comemorar os cem anos da República, em 2010, e congratulou-se por estar agora instalada na Assembleia da República, acessível a todos os cidadãos.

Os socialistas Gabriela Canavilhas, ex-ministra da Cultura do PS, Laurentino Dias, ex-secretário de Estado da Juventude e Desporto, e Duarte Marques, do PSD, foram alguns dos deputados da comissão de Educação, Ciência e Cultura presentes. Do CDS-PP estava apenas o presidente da comissão, Abel Batista, e as restantes bancadas não se fizeram representar.