Três dias depois do anúncio do pedido de exoneração como comandante Pessoal do Exército, o Presidente da República vem agora exonerar o secretário do Conselho Superior de Defesa Nacional. É a mesma pessoa, José Calçada, que acumulava até aqui os dois cargos. A decisão de Marcelo Rebelo de Sousa foi confirmada pela agência Lusa, depois de o Diário de Notícias ter avançado a notícia.

A mesma fonte oficial adiantou à agência Lusa que o tenente-general Antunes Calçada tinha colocado o cargo à disposição do chefe de Estado e que na próxima reunião do Conselho Superior de Defesa Nacional, marcada para dia 21, as funções de secretário serão transitoriamente asseguradas pelo chefe da Casa Militar do Presidente da República, general João Cordeiro.

José Calçada, recorde-se, demitiu-se de comandante Pessoal do Exército por "divergências inultrapassáveis" com o Chefe do Estado-Maior do Exército.

Houve um acumular de discordâncias no ramo,  ao longo dos últimos meses, em que o caso de Tancos foi a gota de água.

Para o general Calçada, a forma como o CEME decidiu exonerar cinco comandantes por causa do furto de armamento foi "inqualificável".

Logo no sábado, o Exército confirmou que o tenente-general Antunes Calçada apresentou declaração de passagem à situação de reserva "a qual foi aceite pelo general chefe do Estado-Maior do Exército", Rovisco Duarte.

"A fim de assegurar a manutenção da cadeia de comando" foi nomeado o vice-chefe do Estado-Maior do Exército, tenente-general Rodrigues da Costa, "para assumir o cargo de Comandante do Pessoal em acumulação".

Poucas horas depois de José Calçada anunciar a sua saída, outro general, o comandante operacional das Forças Terrestres, Faria Menezes, anunciou o mesmo. Pelos mesmos motivos. Porém, o seu pedido de exoneração foi formalizado só ontem, segunda-feira.

O Conselho Superior de Defesa Nacional é o órgão específico de consulta do Presidente da República para os assuntos relativos à defesa nacional e à organização, funcionamento e disciplina das Forças Armadas, presidido pelo chefe de Estado, e tem a próxima reunião marcada para dia 21.