Carlos Moedas passou na prova oral desta terça-feira no Parlamento Europeu (PE) com o «consenso» de todos os grupos políticos, com exceção do Grupo da Esquerda Unida.

Ainda durante a audição, o eurodeputado Carlos Zorrinho elogiou o comissário indigitado por Portugal para a futura Comissão Europeia, Carlos Moedas, no Twitter.

O socialista não esperou pelo final da audição de três horas do social-democrata e ex-membro do governo de Passos Coelho e, pelas redes sociais, deu os parabéns a Moedas:




As palavras simpáticas de Zorrinho após Carlos Moedas ter, por seu turno, elogiado o seu trabalho no Parlamento Europeu, como testemunhou o jornalista da TVI no PE, Pedro Moreira:




O exame oral de Moedas teve início pelas 08:00 (hora de Lisboa) e, durante três horas, o candidato a comissário respondeu às perguntas dos eurodeputados em inglês, francês e castelhano. Com uma postura confiante, o economista apontado por Portugal para a pasta da Inovação e Ciência não esqueceu as suas raízes alentejanas para mostrar como conseguiu abrir os seus horizontes.

Aliás, Moedas defendeu na sua audição que a educação deve ser o ponto de partida para gerar mais inovação e expressou a sua vontade de colaborar com a comissária da Educação para que a investigação chegue cada vez mais cedo ao povo e aos alunos, num esforço de «democratização» da ciência e da investigação.

Durante a audição, Carlos Moedas frisou também a cooperação entre os vários Estados-membros, com argumentos como: «Ninguém sozinho é mais inteligente do que todos juntos». Moedas quer «quebrar barreiras» e tornar a investigação na Europa «uma só».

Confrontado com a crise por que Portugal tem passado, Moedas assumiu que «os países que investem mais na ciência e investigação ultrapassam melhor as crises».

Um dos momentos mais tensos do exame foi quando a eurodeputada do BE, Marisa Matias, criticou Carlos Moedas «homem do ajustamento» em Portugal. O ex-governante respondeu: «Eu apresentei resultados num momento difícil mas também estive muitas vezes em desacordo com a troika».

Os eurodeputados PS, PCP e BE consideraram que o comissário indigitado pelo Governo estava obviamente preparado para o exame.




No final das três horas, Moedas apresentava um semblante satisfeito e até recebeu palmas dos presentes. No fecho, Moedas disse ainda que era «uma honra» estar ali.