Jorge Moreira da Silva, ex-ministro do Ambiente, anunciou que é candidato à Convenção das Nações Unidas para as Alterações Climáticas (UNFCCC). O cargo a que o deputado do PSD se candidata equivale a um posto de subsecretário geral das Nações Unidas.

No Facebook, o antigo ministro explica que é “finalista do posto” ao qual se candidatou no início do ano, posto esse que “reporta diretamente ao Secretário-Geral da ONU e tem a responsabilidade de liderar a implementação do Acordo de Paris para as alterações climáticas”.

Ultrapassei as várias fases de um processo muito competitivo e cheguei à lista final. Depois de ter sido selecionado, no início de abril, para a shortlist de quatro ou cinco candidatos e de ter sido entrevistado por um painel, passei à shortlist final (onde habitualmente estão dois ou três candidatos) e fui entrevistado pelo SG Ban Ki Moon no início da semana passada. O anúncio da decisão será divulgado em breve”.

Na mesma mensagem, o antigo ministro explica que a candidatura “não envolveu, obviamente, qualquer desvalorização” das funções que exerce “com a maior honra, no plano político” nacional.

A candidatura envolveu, simplesmente, a reafirmação, da minha parte, do interesse em servir publicamente no combate às alterações climáticas, tal como fiz nos últimos 20 anos. (…) Qualquer que venha a ser o resultado procurei honrar Portugal”

Caso seja eleito, esta não será a primeira vez que Moreira da Silva trabalhará para a ONU. Em abril de 2009, o especialista na área do ambiente entrou como Conselheiro Sénior na área da energia e alterações climáticas no Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Já no início de 2011, foi nomeado diretor da área de Economia das alterações climáticas no Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento em Nova Iorque, cargo que abandonou ao fim de três anos para integrar a direção do PSD de Passos Coelho.