A deputada social-democrata Mónica Ferro louvou, esta quinta-feira, os dados anunciados pelo gabinete de estatística da União Europeia e incitou o maior partido da oposição, o PS, a abandonar a «fábula» da baixa do desemprego através da emigração.

«É a maior descida homóloga da União Europeia, são boas notícias para Portugal, para os portugueses», afirmou, nos Passos Perdidos do Parlamento, acrescentando que o seu grupo parlamentar desafia o congénere socialista «a reconhecer que esta fábula é construída em alicerces muito pouco sólidos».

Segundo a parlamentar do PSD, «além da descida da taxa de desemprego, houve um crescimento do emprego líquido em Portugal em termos homólogos também de dois por cento», facto que «desmente a narrativa construída, ligando a descida da taxa de desemprego ao aumento da emigração portuguesa», juntamente com o relatório sobre o perfil da emigração portuguesa apresentado recentemente pelo secretário de Estado das Comunidades, situando o êxodo atual nos «níveis de 2007 e 2008».

A taxa de desemprego em Portugal recuou para 14,1% em junho, uma descida de duas décimas face a maio e de 2,5 pontos percentuais face a junho de 2013, a maior queda homóloga na UE, revelou o Eurostat.

De acordo com os dados hoje avançados pelo gabinete oficial de estatísticas da União Europeia (UE), que dão conta da mais baixa taxa de desemprego na zona euro desde setembro de 2012 (11,5%), Portugal tem sido dos Estados-membros com uma evolução mais positiva. No mês passado apresentou a taxa mais baixa desde novembro de 2011 (altura em que se encontrava nos 14%, vindo depois a subir até um pico de 17,8% em abril de 2013).

Na comparação homóloga (com o mesmo período do ano anterior), Portugal apresenta o maior recuo entre todos os Estados-membros da UE, de 16,6 para 14,1%, ou seja, 2,5 pontos percentuais, à frente da Hungria (descida de 2,3 pontos), Irlanda (1,8) e Espanha (1,7).