O cabeça de lista da coligação PSD/CDS-PP, Paulo Rangel, acusou hoje o PS de falar do estado social, quando deixou o país «com os cofres vazios», sem poder pagar educação, saúde e segurança social.

«Vejo os nossos adversários, que ainda ontem [sábado] andaram por estas terras, a falar do estado social. Mas quem deixa o país na bancarrota é quem trata do estado social? Como é que um país com os cofres vazios pode pagar a educação, a saúde ou a segurança social?», questionou Paulo Rangel.

Num almoço em Macedo de Cavaleiros, com o presidente do PSD e primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e o primeiro candidato do CDS-PP na lista da coligação Aliança Portugal (PSD/CDS-PP), Nuno Melo.

«Eu sei que nós passámos muitos sacrifícios, mas é com os nossos sacrifícios que nós hoje estamos em condições de sair do programa da troika e de começar esta agenda de crescimento e emprego», declarou.

Rangel acusou os socialistas de não terem «agenda para a Europa» e insistiu na ideia de «não repetir o passado».

«Nós estamos vacinados contra os socialistas, isso é que nós estamos», afirmou.