O Partido Popular Europeu (PPE) vai ser o maior grupo político no futuro Parlamento Europeu, com mais 16 a 18 eurodeputados que os Socialistas & Democratas (S&D), segundo as últimas projeções para as eleições europeias desta semana.

O PPE deverá obter 28,9% dos votos, elegendo 217 eurodeputados, à frente do S&D, que terá 26,5% e 199 eurodeputados, segundo a projeção semanal Parlamento Europeu (PE) e TNS Opinion divulgada hoje.

No mesmo sentido aponta a projeção semanal PollWatch, divulgada na terça-feira, que atribui 217 lugares (28,9%) ao PPE e 201 (26,8%) ao S&D.

Neste segundo estudo, realizado semanalmente desde janeiro pela organização independente VoteWatch e a consultora Burson-Marsteller, os socialistas apresentam esta semana a votação mais baixa de 2014.

Mas, notam os autores das projeções, há uma probabilidade de cerca de 15% de o grupo dos socialistas ser maior no futuro PE que o dos populares, dada a margem de erro deste tipo de estudos, baseados na análise de sondagens nacionais e europeias.

O terceiro grupo político no futuro PE deverá ser o dos liberais do ALDE, com o estudo PE-TNS a atribuir-lhe 61 eurodeputados e 8,12% dos votos e a PollWatch 59 assentos e 7,9%.

A ordem de grandeza das restantes famílias políticas difere nos dois estudos. No primeiro, a quarta maior força vão ser os Verdes, com 50 assentos (6,66%), seguidos da Esquerda Unitária (GUE-NGL) com 46 (6,1%), dos Conservadores e Reformistas Europeus (ECR) com 42 (5,6%) e dos eurocéticos da Europa da Liberdade e da Democracia (ELD) com 33 (4,4%).

Na projeção PollWatch, a quarta maior força será a Esquerda Unitária, com 53 assentos (7,1%), seguida dos Verdes, com 44 (5,9%), dos conservadores com 42 (5,6%) e dos eurocéticos com 40 (5,3%).

Estas previsões não refletem contudo a previsível reconfiguração de alguns grupos políticos. Analistas apontam por exemplo que os conservadores deverão integrar novos membros, como a Alternativa para a Alemanha (AfD) e a Nova Aliança Flamenga (N-VA) belga, que sai dos Verdes por divergências políticas.

Por outro lado, preveem-se saídas do grupo dos Não Inscritos em virtude da provável criação de um grupo de extrema-direita - como a Frente Nacional (FN) da francesa Marine Le Pen ¿ e a entrada de novos partidos ¿ como o Movimento 5 Estrelas do italiano Beppe Grillo.

Quanto à corrida à presidência da Comissão Europeia, as previsões sugerem, segundo os analistas, que o luxemburguês Jean-Claude Juncker seja chamado a formar uma coligação.

Mas, como uma coligação centro-direita (PPE/ALDE/ECR) parece agora impossível, dada a descida de liberais e conservadores, e o mesmo ocorre em relação à esquerda (S&D/ALDE/GUE-NGL/Verdes), os analistas da PollWatch preveem uma grande coligação entre populares e socialistas e, eventualmente, liberais.

Relativamente a Portugal, a PollWatch mantém as previsões anteriores, com a eleição de 10 eurodeputados (38,9%) pelo PS (membro do S&D), oito (31,1%) pela coligação PSD/CDS-PP (membro do PPE), dois (9,1%) pela CDU e um (6,5%) pelo BE (ambos membros da Esquerda Unitária).

As eleições europeias realizam-se entre 22 e 25 de maio nos 28 Estados membros da União Europeia para escolher os 751 deputados que constituirão o PE na próxima legislatura.