O Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP) manifestou «repúdio» com a decisão da Comissão Nacional de Eleições (CNE) de não repetir as eleições nas 12 freguesias que boicotaram as europeias.

De acordo com um comunicado divulgado hoje pelo PCTP/MRPP, a CNE deliberou, em reunião de terça-feira, não realizar nova votação no próximo domingo, com base numa proposta do diretor-geral da Administração Interna, Jorge Miguéis.

«Assim, a Comissão Nacional de Eleições, sob o argumento de que os votos em causa naqueles locais já não influenciariam a atribuição de mandatos, entendeu privar um conjunto de cidadãos do seu direito constitucional de votar», acusam.

Além disso, acrescenta o PCTP/MRPP, esta decisão mostra que para a CNE «o direito de voto dos cidadãos é algo dispensável, o ato eleitoral uma mera formalidade e mesmo uma inutilidade a evitar e a igualdade entre as diversas forças políticas candidatas a uma eleição um simples "verbo de encher"».

Para o partido, trata-se de uma atitude «profundamente anti-democrática» e apela a todos os cidadãos que se manifestem contra a decisão.

Jorge Miguéis disse na passada segunda-feira que a repetição do ato eleitoral nas 12 freguesias que no domingo boicotaram as europeias só se irá fazer caso a contagem dos votos provenientes do estrangeiro não permita a eleição dos quatro mandatos ainda por atribuir.

Perto de 9,7 milhões de eleitores foram no domingo chamados a eleger os 21 deputados portugueses para o Parlamento Europeu, menos um do que há cinco anos.