As mesas de voto para as eleições europeias não abriram hoje em 12 freguesias, de cinco concelhos em todo o país, excluindo assim da votação mais de 12 mil eleitores, segundo dados da Direção-Geral da Administração Interna.

As eleições europeias AO MINUTO

Estes boicotes locais às eleições europeias foram promovidos pelas populações, como forma de protesto.

De acordo com o diretor-geral da Administração Interna, Jorge Miguéis, todas as sete freguesias do concelho de Murça, que abrangem 6.952 eleitores, têm as urnas de voto encerradas, como protesto pelo encerramento de serviços e pela possibilidade de introdução de portagens na Autoestrada.

Quanto à freguesia de Muro, no concelho da Trofa, também as mesas de voto não chegaram a abrir, deixando de fora da votação 1.630 eleitores, enquanto no concelho de Serpins, na Lousã, ficam sem exercer o direito de voto um total de 1.505 eleitores, acrescentou à Lusa o responsável.

Nestes dois casos, os protestos estão relacionados com a linha do metro: em Muro, a população reivindica a sua construção, ao passo que em Serpins exige a conclusão das obras do projeto.

No concelho da Covilhã, duas freguesias ficaram sem votantes.

Na freguesia de Orjais, com 768 eleitores, a escola foi fechada a cadeado, contra o anunciado encerramento daquele estabelecimento de ensino, e a mesa de voto não chegou a abrir.

Ainda no mesmo concelho, segundo a mesma fonte, ficou fechada a secção de voto de Vales do Rio, que tem 726 eleitores inscritos.

Em Ponte de Lima, não abriu a urna de voto da Gemieira, uma freguesia com 561 eleitores.