As Eleições Europeias de 2014 voltaram a mostrar que os eleitores portugueses votam em maioria nos partidos do arco da governação. PS e PSD/CDS elegeram a maioria dos deputados europeus, mas a diferença entre o PS e a coligação Aliança Portugal ficou traduzida num número: 3,74 pontos de diferença. O suficiente para o PS reclamar vitória inequívoca e para o PSD e o CDS lembrarem que as legislativas não ficavam decididas esta noite.

PS vence Eleições Europeias

António Costa diz que vitória do PS «sabe a pouco»

AO MINUTO da noite eleitoral

No discurso de vitória, António José Seguro defendeu que «o atual Governo chegou ao fim» e assumiu que se depender do PS, Portugal «pode ter eleições antecipadas», exigindo que Cavaco Silva, Portas e Passos Coelho retirem as consequências do resultado eleitoral. Ainda assim e apesar de considerar esta uma «vitória consecutiva» do PS em eleições, o líder do PS recusou apresentar uma moção de censura ao Governo, ao contrário do assumido por Jerónimo de Sousa.

A vitória reclamada pelo PS logo ao início da noite, considerando esta uma vitória histórica, levou Marcelo Rebelo de Sousa a defender que os socialistas tinham «um guião preparado para a noite eleitoral». . No CDS-PP, também Nuno Melo criticou as declarações de vitória do PS, lembrando que o PS não teve «nenhuma vitória estrondosa».

Vitória significativa conseguiu a CDU que registou «um dos maiores êxitos dos últimos 25 anos», ao eleger um terceiro eurodepudado, passando de 10,7% para mais de 12%.

Mas nem só de política ao centro viveram as eleições deste domingo. A grande surpresa da noite foi o resultado de Marinho e Pinto, candidato do MPT. O ex-bastonário da Ordem dos Advogados conseguiu ser eleito eurodeputado e durante grande parte da noite o partido esteve à beira de conseguir eleger um segundo deputado.

O MPT subiu assim a quarta força política, passando o Bloco de Esquerda que teve uma das piores noites eleitorais. A deputada Marisa Matias foi eleita, mas foi a única. A eurodeputada assumiu mesmo que este «não foi um bom resultado»..

Um mau resultado que acabou por ser reforçado pelo Livre que apesar de não ter conseguido eleger Rui Tavares, ganhou ao Bloco de Esquerda em Lisboa.

O PSD obteve o pior resultado de sempre em Eleições Europeias, mas a vitória do PS esteve longe da melhor votação dos socialistas para o Parlamento Europeu, alcançada há 10 anos, com 44,53%.

As Europeias deste domingo mostraram um PS que apesar de vencer as eleições apresenta um resultado inferior ao conseguido nas autárquica: menos 5%. Ainda assim, o PS vence as eleições, revelando o descontentamento dos portugueses com a coligação que está no Governo. Passos Coelho defendeu que o resultado das legislativas está ainda em aberto: caberá agora ao núcleo duro do PS decidir como os socialistas vão a votos em 2015. Para já, fica o aviso de António Costa: «A vitória do PS sabe a pouco».