O cabeça-de-lista do PS às eleições europeias, Francisco Assis, considerou hoje no Algarve que o plano estratégico dos transportes e infraestruturas traçado pelo Governo «revela a importância do investimento público» que o executivo «tanto demonizou».

Em declarações à agência Lusa à margem de uma ação de pré-campanha eleitoral no mercado de Lagos, Francisco Assis disse que os apelos a um entendimento entre o PS e os partidos do Governo, feito por socialistas como António Costa ou Luís Amado, não excluem a necessidade de «haver um caminho alternativo», que qualificou de «fundamental para a vida democrática».

«Mas tem de haver sentido de compromisso (...) Infelizmente, creio eu, que a atual maioria governamental se tem fechado completamente a qualquer compromisso sério com o PS», afirmou o candidato socialista.

Francisco Assis defendeu que o PS não pode «estar disponível para um compromisso em torno da manutenção das atuais políticas», porque há «uma divergência absoluta» entre as partes e sobre as atuais «políticas desastrosas», com «efeitos conhecidos», o que aumenta, na sua opinião, a necessidade de «construir um caminho alternativo».

O candidato socialista ao Parlamento Europeu reiterou a disponibilidade do partido «para dialogar com outras formações partidárias, como o PS sempre esteve», mas só se houver uma «caminho alternativo».

Questionado sobre o Plano Estratégico de Transportes e Infraestruturas do Governo, que prevê investimentos com apoio de fundos comunitários em áreas como portos, aeroportos ou na vertente ferroviária, até 2020, Francisco Assis respondeu que «revela a importância do investimento público, tão demonizado e tão atacado pelo Governo», que «agora, subitamente, descobriu que realmente é importante».

«Há aqui um ponto fundamental: o país não pode dispensar o investimento público e este que é financiado por fundos comunitários não é manifestamente suficiente, é preciso prosseguir, que haja um esforço nacional complementar e isso pressupõe a libertação de recursos que garantam o financiamento desse investimento público. Ora isso pressupõe também uma alteração do caminho que tem sido seguido até aqui», insistiu.

O candidato fez-se acompanhar por outros elementos da lista do PS ao Parlamento Europeu, como o antigo presidente da Câmara de Lagos Júlio Barros, na visita ao mercado de Lagos, que abriu o dia de pré-campanha de Assis no Algarve.

À noite está prevista a participação do candidato numa sessão com a presença prevista da presidente do Governo regional da região espanhola da Andaluzia, a também socialista Suzana Dias.

Francisco Assis disse pretender durante o dia apelar «a uma participação eleitoral forte e a uma participação eleitoral também forte no PS», que permitiria «iniciar uma mudança política no projeto europeu», com «repercussões imediatas na vida do nosso país e no dia-a-dia dos portugueses».