O eurodeputado da CDU João Ferreira criticou hoje a «chantagem» por parte da Comissão Europeia, no sentido de fazer pairar a hipótese de um segundo resgate a Portugal caso o país não cumpra o défice de 2,5% em 2015.

«Esta posição da Comissão Europeia é, em primeiro lugar, um desmentido a todos aqueles que vêm dizendo que o país recupera a sua soberania a partir de 17 de maio. Depois, é um prenúncio daquilo a que o país se pode ver submetido nos próximo anos, diria nas próximas décadas, se não romper com o caminho, com a teia de submissão que foi tecida, e deixa hoje decisões fundamentais da vida do nosso país nas mãos de entidades supranacionais», disse, em Guimarães.

O cabeça de lista comunista ao Parlamento Europeu reagia à manchete do jornal Diário de Notícias, que citou hoje «fonte oficial» do organismo europeu. «Se o Governo relaxar, por vontade própria, o ritmo de ajustamento orçamental, os mercados vão castigar Portugal, e, com taxas de juro mais altas será difícil escapar a um segundo resgate», lê-se no DN.

«É uma chantagem que é importante que tenha uma resposta por parte dos portugueses, perante aqueles que nos quiseram amarrar à chantagem, a instrumentos de dominação do país, é importante que quem não se conforma que o venha dizer no dia [25 de maio]», desejou, referindo-se ao reforço de votação na CDU nas eleições.

João Ferreira voltou a condenar os «19 milhões de euros por dia, sete mil milhões este ano, que Portugal vai ter de pagar só em juros da dívida».