O cabeça de lista do PS às eleições europeias, Francisco Assis, instou hoje Paulo Rangel (PSD) a falar da atualidade política e económica e a não fazer «oposição a um Governo que já não existe há três anos».

«É mais fácil tentar enganar as pessoas acerca do passado do que conseguir enganá-las sobre o presente. É sempre mais fácil fazer isso. E é isso que ele [Paulo Rangel] está a tentar fazer, claramente. Mas ele tem que responder por questões da atualidade. Tem que explicar ao país por que o Governo optou por uma política económica errada que teve consequências tremendas do ponto de vista económico e social», declarou o candidato socialista ao Parlamento Europeu.

Assis falava num almoço-comício de Amarante, terra natal do cabeça de lista socialista às eleições europeias, num encontro que conta também a presença do secretário-geral do PS, António José Seguro, e que juntou mais de mil apoiantes do partido.

Numa intervenção de cerca de 25 minutos, o cabeça de lista às europeias foi também muito crítico para com os «radicalismos» de «uma extrema-esquerda que passa o tempo todo a atacar o PS e se esquece de atacar quem deveria, o Governo de Portugal».

«Uma extrema-esquerda que incorre no erro trágico de alguma esquerda que é querer convencer as pessoas de que não há diferenças entre a esquerda democrática e esta direita radical que nos governa. Para além de ser um ato da mais profunda desonestidade política, é um ato verdadeiramente inadmissível», advogou Francisco Assis.

Lembrando aos presentes estar a falar em casa, o candidato reiterou as necessidades de mudanças a nível europeu e nacional para garantir um maior financiamento da economia, sempre aliado ao rigor das contas públicas, defendendo o PS como o partido da mudança, palavra que serve de mote à campanha para as europeias.

«Para nós a política só faz sentido se for uma capacidade de transformar a realidade. Para nós, a política não é uma espécie de registo notarial das dificuldades do presente. Para nós é colocar a nossa energia, talento, capacidade, ao serviço de um projeto de mudança», frisou.

Sobre o líder do PS, presente no almoço-comício, Francisco Assis disse estar «absolutamente certo» de que Seguro «vai ser dentro de algum tempo o próximo primeiro-ministro» de Portugal.

No almoço-comício de hoje estiveram também presentes Pedro Silva Pereira e Manuel dos Santos, candidatos do PS ao Parlamento Europeu nos números sete e nove da lista, respetivamente.

PS tem comício no Porto dia 18

O PS vai realizar o comício do Porto da campanha para as eleições europeias no próximo dia 18, um dia depois da Convenção Novo Rumo, regressando à segunda cidade do país no penúltimo dia de campanha, no dia 22.

Este calendário foi anunciado pelo líder da Federação do Porto do PS, José Luís Carneiro, num discurso que abriu o almoço comício de Amarante, terra natal do cabeça de lista socialista às eleições europeias, Francisco Assis, que tem também a presença do secretário-geral do PS, António José Seguro, e que juntou mais de mil apoiantes.

Na sua breve intervenção, o líder do PS/Porto apelou à mobilização de todos os socialistas do seu distrito para a campanha das eleições europeias, destacando em particular o comício de dia 18.

No dia 22, a campanha socialista regressa à segunda cidade do país, estando previstas diversas ações de rua.