O eurodeputado social-democrata Paulo Rangel foi convidado por Pedro Passos Coelho para encabeçar a lista da maioria às eleições europeias em 2014, num encontro em Lisboa, na sexta-feira passada, confirmou à agência Lusa fonte do PSD.

Segundo a mesma fonte, o presidente do PSD e primeiro-ministro e o chefe da delegação social-democrata no Parlamento Europeu estiveram reunidos em Lisboa para discutir as eleições europeias de maio do próximo ano e Passos Coelho fez o convite a Rangel, cabeça-de-lista em 2009, para liderar a lista da atual maioria.

Em 2009, os dois partidos apresentaram listas autónomas, com Paulo Rangel cabeça-de-lista pelo PSD e Nuno Melo pelo CDS-PP, sendo que, ao todo, os sociais-democratas elegeram oito eurodeputados e os democratas-cristãos dois.

No sábado passado, fonte oficial do CDS-PP disse à Lusa que Nuno Melo voltará a ser o número um do partido às europeias de 2014.

Questionado pela Lusa em Estrasburgo sobre a sua continuação no Parlamento Europeu, Paulo Rangel recusou fazer comentários, remetendo para a posição de Passos no Conselho Nacional de terça-feira, de que o partido, «até ao Congresso, não tem rigorosamente nada a dizer sobre listas» e que essas «só serão tratadas com os novos órgãos eleitos».

A Lusa tentou contactar o presidente do PSD sobre esta informação, através do gabinete de imprensa do partido, que respondeu não haver nenhum comentário a fazer e que o tema das europeias só será abordado em março.

O Conselho Nacional do PSD aprovou na terça-feira à noite, por unanimidade, a realização de diretas para a liderança do partido a 25 de janeiro e do seu XXXV Congresso nos dias 21, 22 e 23 de fevereiro, em Lisboa.

Nas eleições europeias, marcadas para 25 de maio de 2014, os portugueses irão escolher os 21 eurodeputados que vão representar Portugal até 2019, menos um eurodeputado que nas eleições de há cinco anos, devido à recomposição do Parlamento Europeu acordada na sequência da adesão da Croácia à União Europeia.