O Bloco de Esquerda considera que a troca de parte da dívida dos próximos dois anos para 2017 e 2018 é uma «operação de desespero» de um Governo que «sabe que não tem» em 2014 como regressar aos mercados.

«A operação de troca de dívida que hoje conhecemos não representa de forma nenhuma um regresso aos mercados, pelo contrário, é a prova que o Governo sabe que não pode regressar aos mercados no próximo ano para refinanciar toda a dívida necessária», acusou a deputada bloquista Mariana Mortágua, em declarações no parlamento.

A deputada falava depois de esta manhã Portugal ter conseguido «empurrar» para 2017 e 2018 cerca de 6,64 mil milhões de euros de dívida que tinha de pagar originalmente em 2014 e 2015, numa operação de troca de dívida realizada pelo IGCP.

«Trata-se de uma reestruturação da dívida mas das piores que se pode fazer. Vamos pagar a mesma dívida mas com mais juros durante mais tempo. É uma operação de desespero de quem sabe que não tem no próximo ano como regressar a mercados e pagar toda a dívida que se comprometeu a pagar», sustentou ainda a parlamentar do Bloco.