O primeiro-ministro afirmou, esta sexta-feira, que há em Portugal «muitas universidades que têm cursos que não fazem sentido» e defendeu que é necessário reforçar a oferta formativa de curta duração, para responder à procura das empresas.

«Está em défice claro neste país a oferta formativa superior de curta duração, que possa oferecer às empresas aquilo que elas procuram e não encontram», disse Passos Coelho em Barcelos, durante uma visita ao Instituto Politécnico do Cávado e Ave (IPCA).

Para o primeiro-ministro, «há um grande desacerto» entre a procura que as empresas fazem de mão-de-obra qualificada, de oferta diferenciada de tipo superior, e a oferta que o mercado disponibiliza.

«Temos de corrigir isto. Não sei se é com as universidades ou com os politécnicos (...). Haverá universidades que podem contribuir, politécnicos que podem contribuir. Mas esta situação precisa de ser corrigida nos próximos anos», acrescentou.

Passos Coelho criticou o facto de existirem atualmente «muitas universidades que têm cursos que não fazem sentido, apenas porque não sabem o que fazer aos professores que lá têm».

Disse ainda que «não tem nenhum interesse» haver mais mil cursos no ensino superior, «sem diferenças significativas» entre eles e com «pouquíssimos alunos».

«Porquê tantos cursos e porquê toda a gente a oferecer a mesma coisa?», questionou, para defender que as instituições de ensino superior devem «diferenciar-se, especializar-se».

«Não têm de perder o sentido de competição, mas também é importante que não se estejam a canibalizar umas às outras», advogou.

O primeiro-ministro falava durante a inauguração do Centro de Investigação & Desenvolvimento em Jogos Digitais do IPCA, um investimento de 2,6 milhões de euros.

O equipamento integra sete laboratórios que dispõem de alguns equipamentos únicos em Portugal, designadamente ao nível da captura de movimento.

Trata-se de um centro multidisciplinar, focado na pesquisa dos desafios, científicos, sociais, de engenharia e educacionais do entretenimento digital em geral e dos jogos digitais em particular.

O centro dispõe ainda de auditório com capacidade para 170 pessoas.

À chegada ao IPCA, Passos Coelho foi recebido por uma manifestação contra a política do Governo que juntou perto de meia centena de pessoas, sobretudo sindicalistas e dirigentes do Bloco de Esquerda e do PCP.

«Demissão» foi a palavra de ordem mais proferida pelos manifestantes.