Paulo Portas condenou segunda-feira a agressão de que foi vítima uma professora de Aveiro, distrito por onde foi eleito deputado. «Na sociedade portuguesa está a perder-se o respeito por todas as funções da autoridade. Está a perder-se o respeito pelos professores na sala de aula, cuja autoridade é para nós inegociável», afirmou, citado pela Lusa.

O líder do CDS-PP considera que «está a perder-se o respeito também pelas forças policiais, que são agredidas dia sim dia não, e o respeito pelas pessoas mais velhas. O CDS-PP defende as funções de autoridade e não aceita uma sociedade que relativiza essas funções da autoridade». Acrescentou ainda que «tinha razão quando defendeu que as agressões a professores deverão ser uma agravante em termos de processo penal»

CDS-PP reapresenta projecto de lei

Na sequência do incidente desta segunda-feira, o deputado Nuno Magalhães anunciou que o CDS-PP vai reapresentar no Parlamento um projecto de lei para tornar «circunstância agravante» a prática de crimes nas escolas ou contra membros da comunidade escolar.

O deputado do CDS-PP afirma que a violência em «locais que deveriam ser seguros tem vindo a aumentar nos últimos anos», a função deste diploma é tornar «circunstância agravante a prática de crimes, como por exemplo a injúria, o tráfico de estupefacientes, ofensas corporais, se praticados dentro de estabelecimentos escolares, no seu perímetro ou contra membros da comunidade escolar»

Fazendo referencia ao caso da professora de Aveiro, que foi esta segunda-feira agredida por uma aluna do 5º ano, Nuno Magalhães acredita que «são casos que se vão sucedendo, como este último de Aveiro, que mostram que cada vez mais não são casos isolados, mas sim casos que revelam a falta de autoridade do Estado»

A esquerda parlamentar votou contra a primeira proposta do projecto de lei apresentado há cerca de três anos.