O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, apelou esta terça-feira em Setúbal à luta dos reformados contra a política do Governo e afirmou que «é possível devolver a dignidade, as pensões e as reformas a quem trabalhou uma vida inteira».

«A mensagem que esta visita encerra, é que, apesar do tempo curto que [os reformados e pensionistas] terão nas suas vidas, nada está perdido para todo o sempre, é possível um outro rumo para o país e é possível devolver a dignidade, as pensões e as reformas que foram roubadas a quem trabalhou uma vida inteira», disse o líder comunista dirigindo-se a dezenas de reformados setubalenses.

«Aquilo que nós consideramos é da importância que essas centenas de milhares de portugueses apanhados numa fase difícil da sua vida, num quadro em que têm de ajudar os próprios filhos e netos, aquilo que trouxemos foi uma palavra de esperança, para que eles sejam também protagonistas na luta contra esta política», acrescentou.

Jerónimo de Sousa falava a dezenas de reformados durante uma visita ao Centro de Bem-estar Social dos Reformados e Idosos de Setúbal, em que se fez acompanhar pela presidente do município, Maria das Dores Meira.

No breve discurso que fez no Centro de Bem Estar Social dos Reformados e Idosos, Jerónimo de Sousa começou por acusar o governo de ter atacado os reformados e pensionistas, por saber que se trata de uma camada social com menos possibilidade de se opor às políticas governamentais.

«Mas apesar de não estarem no ativo, são seres humanos, são portugueses que estão profundamente descontentes com este rumo da política nacional e, por isso, os vemos tantas vezes a participar em grandes ações de massas decididas pelas organizações dos trabalhadores», reconheceu o líder comunista.