O porta-voz do PSD afirmou que a decisão do Tribunal Constitucional sobre os candidatos às freguesias é «um importante contributo para umas eleições mais participadas», considerando que dá razão à posição do PSD, PS, CDS-PP e PCP.

Marco António Costa, à chegada para a convenção autárquica do PSD que hoje decorre em Vila Nova de Gaia, foi questionado sobre a decisão do Tribunal Constitucional conhecida hoje, que admitiu a candidatura de presidentes de juntas com três mandatos a uniões de freguesias, por considerar que estas são uma nova entidade jurídica e territorial.

«Eu julgo que esta é uma decisão que vem dar razão desde o início à nossa posição, à posição do Partido Social Democrata, mas também do Partido Comunista, do Partido Socialista e do CDS», começou por dizer.

Na opinião do porta-voz, esta decisão «é mais um importante contributo para umas eleições mais participadas», contando que resulte num reforço da «posição eleitoral» do PSD.

«Não foi uma surpresa porque nós tínhamos a convicção profunda de que tínhamos razão juridicamente, mas é sem dúvida uma grande notícia no dia da nossa convenção autárquica para várias centenas de candidatos que temos e, particularmente, para as populações que desejam vê-los novamente a liderar», enfatizou.

Questionado pelos jornalistas sobre se este impasse prejudicou o PSD, o dirigente social-democrata respondeu que sim.

«Quando os candidatos que querem apresentar as suas propostas e as suas ideias estão permanentemente sujeitos a perguntas sobre se as suas candidaturas irão ou não até ao fim, se quando querem tomar determinadas iniciativas subsiste a dúvida da sua capacidade de poder levar até ao fim as suas candidaturas, como compreenderão isso prejudica sempre», justificou.

Para Marco António Costa, agora é o momento de, «em plena força, o PSD estar nesta campanha eleitoral revigorado e acima de tudo determinado a vencer estas eleições».