O ministro da Cultura português afirmou esta quinta-feira, na Cidade da Praia, acreditar que a entrada em vigor do Acordo Ortográfico nas instituições oficiais seja uma realidade em Cabo Verde e em Portugal até ao final do primeiro semestre deste ano.

Em declarações à Agência Lusa, António Pinto Ribeiro, que se encontra na Cidade da Praia integrado na comitiva do primeiro-ministro José Sócrates, afirmou que a «nova política de cooperação portuguesa» passa por isso mesmo, «em pôr em vigor o Acordo Ortográfico».

«Não tenho a dúvida nenhuma (que Cabo Verde oficializará o acordo). Nesse domínio, vamos ter um grande entendimento e acreditamos que, ainda no primeiro semestre deste ano, vamos pôr em vigor na documentação oficial (portuguesa e cabo-verdiana) tudo o que é o Acordo Ortográfico», referiu.

«É preciso perceber que se vai passar a escrever segundo as regras do acordo, significa que os operadores [editores, escritores], os que produzem mais língua escrita, porque se trata de ortografia, não das pronúncias, não do léxico, vão ter esse trabalho e nós vamos seguramente alcançar. Em Portugal fizemos quatro reformas ortográficas muito grandes no século XX e não houve problema nenhum», sustentou.

Incidindo sobre a sua presença em Cabo Verde, Pinto Ribeiro salientou a importância de «elevar» o «já muito bom» nível da cooperação, criando condições para que, além do Acordo Ortográfico, se possa partir para outros voos.

«No quadro da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), estamos a fazer um esforço muito grande para criar um prémio cultural e uma actividade que se realize, todos os anos, em três cidades de países da CPLP e que seja uma festa da nossa língua, tenha ela a ver com cinema, teatro, literatura, enfim, com todas as actividades ligadas à Língua», referiu.