à saída da sua primeira reunião de ministros

“O espaço Schengen só pode funcionar com bastante confiança mútua. E aquilo que eu senti na sala foi uma determinação muito forte de vários Estados-membros, incluindo de Portugal, de preservar o espaço Schengen como talvez um dos maiores resultados, ou aquele que é mais tangível, da integração europeia para o cidadão, que é a liberdade de circular sem controlos nas fronteiras, entre os Estados-membros”, disse.