A comissão parlamentar de Educação discute na terça-feira um projeto de resolução do Partido Socialista (PS), no qual se recomenda ao Governo o ensino obrigatório do inglês no 1.º ciclo e a introdução de uma segunda língua estrangeira.

De acordo com o texto do projeto de resolução do PS, recomenda-se a reposição, ainda este ano letivo, da «obrigatoriedade da oferta de inglês a todas as crianças do primeiro ciclo do ensino básico no âmbito das Atividades de Enriquecimento Curricular», passando a integrar o currículo obrigatório deste nível de ensino a partir do ano letivo de 2014-2015.

O PS pretende ainda que se criem as condições para «a aprendizagem precoce de uma segunda língua estrangeira no âmbito das Atividades de Enriquecimento Curricular, competindo a cada escola/agrupamento a escolha das ofertas educativas».

Os socialistas fundamentam o projeto de resolução recordando as recomendações saídas do Conselho Europeu de 2002 realizado em Barcelona, no qual se definiu que todas as crianças deveriam aprender pelo menos duas línguas estrangeiras «desde tenra idade».

O PS recordou que foi durante a governação de José Sócrates, em 2008, que a oferta do inglês nas Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC) se tornou obrigatória para o 1.º ciclo, apesar de a frequência das AEC ter sido sempre facultativa.

«Esta opção permitiu a generalização do ensino precoce de uma das línguas mais importantes na perspetiva social, profissional e económica, contribuindo para futuros cidadãos mais e melhor preparados no quadro da globalização», defende o PS.