Mais de 9,7 milhões de eleitores são este domingo chamados a escolher o novo Presidente da República, que irá substituir Cavaco Silva, sendo dez os candidatos, o que constitui um recorde de nomes no boletim de voto.

Se um dos candidatos obtiver mais de 50 por cento dos votos será eleito já hoje chefe de Estado, mas caso contrário haverá uma segunda volta, a 14 de fevereiro, com os dois concorrentes mais votados.

Os dez candidatos aparecem no boletim de voto pela seguinte ordem: Henrique Neto, António Sampaio da Nóvoa, Cândido Ferreira, Edgar Silva, Jorge Sequeira, Vitorino Silva (Tino de Rans), Marisa Matias, Maria de Belém, Marcelo Rebelo de Sousa e Paulo Morais.

Para o sufrágio de hoje estão inscritos um total de 9.741.792 eleitores, 85.318 mais do que em 2011.

As mesas de voto estarão abertas entre as 08:00 e as 19:00 em todo o país, mas, devido à diferença horária, as urnas nos Açores abrem e fecham uma hora mais tarde em relação à hora de Portugal Continental e da Madeira.

Dos dez aspirantes a chefe de Estado, apenas Maria de Belém, Henrique Neto e António Sampaio da Nóvoa votam na região da grande Lisboa, apurou a Lusa.

O candidato Marcelo Rebelo de Sousa exerce o seu direito de voto em Celorico de Basto (Braga), Vitorino Silva em Penafiel (Porto), Edgar Silva no Funchal, Marisa Matias em Coimbra e Cândido Ferreira em Leiria, enquanto Paulo de Morais e Jorge Sequeira votam no Porto.

Em 2011, Cavaco Silva foi reconduzido no cargo de chefe de Estado na primeira volta, com um resultado de 53,14%.

Dos restantes candidatos, Manuel Alegre conseguiu 19,67% dos votos, Fernando Nobre 14,04%, Francisco Lopes 7,05%, José Coelho 4,52% e Defensor de Moura 1,58%.

Nas últimas eleições, a abstenção também subiu para valores recorde, situando-se nos 53,56%.

A menor abstenção verificou-se na reeleição de Ramalho Eanes, em 1980 (15,61 por cento).

No pós-25 de Abril foram eleitos por sufrágio universal e direto Ramalho Eanes, Mário Soares, Jorge Sampaio e Cavaco Silva, e todos foram reeleitos.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para hoje em Portugal Continental céu pouco nublado e temperaturas máximas amenas, não estando prevista precipitação em todo o território.

Para o arquipélago da Madeira, a instituição prevê períodos de muita nebulosidade, podendo ocorrer períodos de chuva fraca e aguaceiros fracos e poucos frequentes.

Já para os Açores, o IPMA prevê céu com períodos de muito nublado e vento moderado.