O cabeça de lista do MPT - Partido da Terra - pelo círculo da Madeira, Roberto Vieira, comprometeu-se esta quinta-feira a lutar pela atribuição do subsídio de risco às forças de segurança caso seja eleito deputado à Assembleia da República.

Numa iniciativa de pré-campanha eleitoral para as eleições legislativas nacionais de 04 de outubro, junto ao comando da Policia de Segurança Pública (PSP), no Funchal, Roberto Vieira prometeu que, entre as primeiras medidas que irá apresentar no parlamento, estão a atribuição do subsídio de risco aos profissionais da PSP e a comparticipação, em 100 por cento, por parte do Estado, na aquisição dos fardamentos dos agentes de segurança.

"Não é admissível que os agentes da PSP, que correm sérios riscos durante a sua atividade profissional, não usufruam de subsídio de risco, nem é aceitável que os mesmos tenham que suportar, quase na totalidade, os custos das fardas que envergam", disse.

Roberto Vieira salientou ainda que exigirá ao Governo da República "maior atenção para com as forças de segurança do país", nomeadamente lutar por "condições dignas de trabalho" através da substituição das esquadras "terceiro-mundistas ainda existentes na região" e dos veículos que "se fossem inspecionadas não passavam no exame e não andariam nas estradas".

No círculo eleitoral da Madeira, o Partido da Terra nunca elegeu um deputado à Assembleia da República desde que foi legalizado pelo Tribunal Constitucional a 12 de agosto de 1993 mas já conseguiu dois mandatos na Assembleia Legislativa da Madeira, designadamente nas eleições regionais de 06 de maio de 2007 em que obteve 3.175 votos (2,26%), e na de 09 de outubro de 2011 em que teve 2.839 votos (1,93%).

Nas eleições de 04 de outubro, o Partido da Terra candidata-se a todos os 22 círculos eleitorais.