O partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) elegeu um deputado para a Assembleia da República ao conseguir reunir 1,39% dos votos nas eleições legislativas deste domingo.

O PAN conseguiu um total de 74.230 votos, quando estão apurados 99,7% dos boletins.

O cabeça de lista do Pessoas-Animais-Natureza por Lisboa, André Silva, considera que “se fez história” ao conseguir ser eleito deputado, salientando que o PAN afirmou-se nas legislativas “como um verdadeiro partido nacional”.

“Fez-se história em Portugal. Há mais de 20 anos que não entra um novo partido para a Assembleia da República”, afirmou à agência Lusa André Silva, que foi eleito deputado nas legislativas de domingo.


O partido Pessoas-Animais-Natureza é a mais recente força partidária a garantir representação parlamentar na próxima legislatura, ao eleger no domingo o deputado André Silva, por Lisboa.

André Silva adiantou que, “com muito orgulho”, vai “levar as causas” que o partido defende ao parlamento e “tentar aplicar e discutir o vasto programa” do PAN.

O deputado eleito disse, também, que se quer sentar nos lugares da frente da Assembleia da República, não se classificando como sendo de direita ou esquerda.

“O PAN não se revê na esquerda ou na direita, a nossa luta é levar ao parlamento as causas que defendemos”, disse, destacando o facto de o partido ter subido nas legislativas em todos os círculos e de ter eleito um deputado no Dia Mundial do Animal.


O PAN arrecadou 1,39% das intenções de voto dos portugueses, conseguindo mais de 70 mil votos.

O deputado eleito é o cabeça de lista do círculo de Lisboa, André Lourenço e Silva, o primeiro a chegar à Assembleia, desde que o partido foi fundado, em 2009.

A Assembleia da República contará assim, na próxima legislatura, com sete bancadas parlamentares - PSD, CDS, PS, BE, PCP, PEV e PAN.

O último novo partido a ser eleito para a Assembleia da República foi o Bloco de Esquerda, que elegeu dois deputados em 1999. Há 16 anos que a constituição do parlamento inclui os mesmos partidos – PSD, PS, CDS-PP, PCP, BE e PEV.

Anteriormente ao Bloco de Esquerda, em 1991, o Partido da Solidariedade Nacional (PSN) também assegurou representação no parlamento, conseguindo um mandato, o de Manuel Sérgio. O deputado manteve-se na Assembleia da República durante uma legislatura, não tendo sido reconduzido nas eleições de 1995.

Em 1985, a Assembleia da República, a par de PSD, PS, CDS e PCP, era também constituída pelo grupo parlamentar do Movimento Democrático Português/ Comissão Democrática Eleitoral (MDP/CDE), e do Partido Renovador Democrático (PRD), que era a terceira força, com 45 deputados.

Nas legislativas de 1987, o PRD diminuiu a sua representação no parlamento, ficando com sete deputados até 1990.

 

Acompanhe a atribuição de mandatos AO MINUTO, aqui.