Ferro Rodrigues foi eleito esta sexta-feira presidente do Grupo Parlamentar do PS com 69 por cento dos votos favoráveis, percentagem idêntica àquela que registou no ano passado o seu antecessor no cargo, Alberto Martins. 

Ferro Rodrigues congratulou-se com o resultado da sua lista para a direção da bancada, salientando que contará com todos os deputados socialistas, independentemente das opções assumidas nas primárias deste partido.

«Estou muito contente com os resultados obtidos pela minha lista em voto secreto pelos deputados do PS. É uma expressão muito forte de apoio que esta direção do Grupo Parlamentar vai ter», advogou o ex-líder socialista, adiantando que abandona agora a vice-presidência da Assembleia da República, lugar que desempenha desde o início da legislatura.

Ferro Rodrigues considerou depois que aceitou o convite do candidato socialista a primeiro-ministro, António Costa, para ser líder parlamentar do PS - um cargo que disse ser simultaneamente para si «uma honra e uma responsabilidade».

«Procurarei que este Grupo Parlamentar tenha um trabalho forte em prol de um combate duro contra o Governo, que tem lançado o país na confusão e na desgraça. Conto com todos os deputados, independentemente das posições que tomaram nas eleições primárias [entre António Costa e António José Seguro]. Isso já está bem patente na direção da bancada que foi eleita comigo», sustentou.

Interrogado sobre os 11 votos contra que a sua lista para a direção da bancada recebeu, o ex-secretário-geral do PS desdramatizou, alegando que a formação de uma lista «é sempre algo de muito complexo».

«Uma lista envolve nomes, uns que são consensuais e outros que são menos consensuais. O meu próprio será consensual para uns mas não para outros e, por isso, considero ser perfeitamente normal ter uma votação de 69 por cento dos votos expressos e de 60 por cento dos deputados em efetividade de funções. Este resultado agrada-me. Volto a esta vida mais ativa, na primeira fila da bancada para as batalhas que se avizinham, com determinação e entusiasmo», acrescentou.

Ferro Rodrigues defendeu ainda que os socialistas deverão orgulhar-se do legado de António José Seguro como secretário-geral e adiantou que António Costa proporá o novo vice-presidente da Assembleia da República.

Ferro Rodrigues falou sobre o secretário-geral do PS demissionário, depois de confrontado pelos jornalistas com o facto de Seguro não ter participado na votação para a direção do Grupo Parlamentar do PS.
«Suponho que, desde as primárias [do passado domingo], o deputado António José Seguro não esteve no parlamento. Está no seu direito de não querer participar ativamente neste momento da vida interna. Compreendo a sua posição perfeitamente», referiu Ferro Rodrigues.

Depois, o recém-eleito líder parlamentar do PS deixou uma mensagem para tentar pacificar internamente o seu partido.

«Acho que o PS tem que se orgulhar, incluindo o Grupo Parlamentar, de todo o seu legado e também daquilo que foram os três anos [de presidência da bancada] com Alberto Martins e Carlos Zorrinho e com António José Seguro como secretário-geral do partido», afirmou. 

De acordo com os números oficiais da eleição, votaram 65 dos 74 deputados, com a lista proposta por Ferro Rodrigues a obter 45 votos a favor (69 por cento), 11 contra (17 pore cento), seis brancos (nove por cento) e três nulos (cinco por cento).

Não votaram nove deputados (um deles o secretário-geral demissionário, António José Seguro), dos quais sete por se encontrarem em missão externa parlamentar.

A direção do Grupo Parlamentar do PS, liderada por Ferro Rodrigues, integra como novidades os nomes de Inês Medeiros, Isabel Santos, João Paulo Correia, Jorge Fão, Vieira da Silva e Luís Pita Ameixa.

Continuam nos cargos de vice-presidentes da bancada socialista Ana Catarina Mendes, Hortense Martins, Marcos Perestrello, Mota Andrade, Pedro Nuno Santos e Sónia Fertuzinhos.

Além do ex-presidente do Grupo Parlamentar do PS Alberto Martins, abandonam agora a direção da bancada José Junqueiro, António Braga, Fernando Jesus, António Gameiro, Pedro Marques e Odete João.

No ano passado, a lista liderada por Alberto Martins para a direção do Grupo Parlamentar do PS teve 69 por cento de votos favoráveis, tendo votado nas eleições 67 dos 74 deputados socialistas.

Em outubro de 2013, a lista liderada por Alberto Martins obteve 46 votos a favor, 15 contra (cerca de 22 por cento), cinco brancos e um nulo.

Há três anos, na primeira eleição para a direção da bancada da presente legislatura, Carlos Zorrinho foi eleito presidente do Grupo Parlamentar do PS com 62 por cento dos votos favoráveis.

Em setembro de 2011, votaram 72 deputados socialistas (apenas dois faltaram), tendo a lista liderada por Carlos Zorrinho obtido 43 votos a favor, 26 contra, dois brancos e um nulo.