O socialista Carlos César, ex-presidente do Governo Regional dos Açores, criticou esta terça-feira, em entrevista à Rádio Renascença, a liderança do PS e revelou ter sido convidado para ser candidato do partido às europeias, o que recusou.

O ex-líder do PS/Açores disse ter conversado com o secretário-geral socialista, António José Seguro, sobre um «eventual comprometimento» seu nas europeias, mas que «não tinha disponibilidade» para participar na lista do partido.

Na entrevista ao programa «Terça à Noite», da Renascença, Carlos César afirmou duvidar que António José Seguro «deva falar sobre tudo e durante todo o tempo», considerando ainda que o PS tem sido «demasiado oponente e pouco proponente».

Carlos César acrescentou que o PS deve fazer uma boa escolha para o candidato socialista às eleições para o Parlamento Europeu de maio, para afirmar a «renovação do Partido Socialista».

«O perfil do candidato deve significar, perante os portugueses, a confirmação ou o indício muito forte da capacidade de expansão e de renovação do Partido Socialista», vincou, dizendo esperar que o PS tenha um resultado mais expressivo do que nas últimas europeias.

Questionado sobre a possibilidade de se colocar em questão a liderança de Seguro caso o PS tivesse um resultado negativo nas europeias, Carlos César afirmou: «Se houvesse uma situação de anormalidade, em que o PS não obtivesse um bom resultado, é evidente que essa questão deveria ser colocada».