A abstenção nas comunidades portuguesas a residir no estrangeiro nas eleições para o Parlamento Europeu foi de 98,25 por cento, superior à de 2009, segundo dados provisórios da Direção Geral da Administração Interna (DGAI).

Apenas 3.883 dos portugueses inscritos no estrangeiro (1,75% do total - 221.753) participaram nas eleições, quando estavam apurados os resultados em 54 de 71 consulados (76% do total de votos), cerca da 01:00 de segunda-feira.

Nas eleições europeias de 2009, a abstenção foi de 97,8%.

De acordo com informação disponibilizada pela DGAI, no estrangeiro o resultado da votação é diferente do registado no território nacional: a Aliança Portugal (PSD/CDS-PP) foi o mais votado, com 47,82% (1.857 votos), mais do dobro do PS, que teve 23,05% (895 votos).

Perto de 9,7 milhões de eleitores foram no domingo chamados a eleger os 21 deputados portugueses no Parlamento Europeu, menos um do que há cinco anos.

Às 23:55 de domingo, quando faltavam apurar quatro mandatos, o PS tinha eleito sete eurodeputados, a Aliança Portugal (PSD/CDS) seis, a CDU três, o MPT e o Bloco de Esquerda um cada e a abstenção cifrava-se em 66,09.