O presidente da Câmara do Porto, que assegurou hoje a reeleição, considerou, no discurso de vitória, que "os grandes derrotados da noite" são "António Tavares, Rui Rio e Paulo Rangel".

"Não digo isto por não nos terem apoiado, o que é perfeitamente legítimo, mas por terem utilizado a cidade do Porto como território para disputas de índole nacional."

Rui Moreira disse aos social-democratas que referiu que as eleições autárquicas no Porto "não são as primárias secretas do PSD".

O autarca independente lamentou que Álvaro Almeida, o candidato do PSD, tenha sido "abandonado à ultima da hora pelos que tardiamente foram então apoiar a candidatura de Manuel Pizarro".

Quanto ao PS, Rui Moreira enviou um "abraço" ao seu "amigo Manuel Pizarro" e ouviram-se palmas na sede de candidatura. Mas também ouviu críticas:

"Tentou, numa primeira fase, condicionar o nosso movimento. O apoio que nos oferecia tinha um preço que o nosso movimento não podia nem quis pagar. Depois, tentou, na participação inusitada de membros do Governo na campanha, nacionalizar as eleições no Porto e esse é um preço que a cidade não quis pagar."

De resto, Rui Moreira agradeceu a “confiança” dos eleitores “num projeto independente, com futuro e sério”.

“Os grandes projetos que lançámos vão ser concluídos, com contas à moda do Porto.” 

O candidato independente deixou ainda um “profundo agradecimento” ao CDS-PP e ao MPT, partidos que o apoiaram.

Veja também: tudo sobre as autárquicas AO MINUTO