O secretário-geral do PCP exigiu hoje que o presidente da EDP pague o que deve, depois de aquele responsável pela elétrica portuguesa ter sugerido que as decisões do Tribunal Constitucional (TC) podem conduzir a um segundo resgate do país.

«Dizia o homem, empertigado, que esta coisa de o TC poder vetar estes cortes brutais nas reformas e nas pensões é inaceitável. Olha quem fala...», disse Jerónimo de Sousa, num almoço de campanha autárquica, na Quinta do Conde.

O líder comunista comentava uma entrevista de António Mexia à rádio TSF, na qual o presidente da EDP defendeu que os juízes do Palácio Ratton devem ter em consideração a atual conjuntura económica, sob o risco de nova intervenção dos parceiros internacionais.

«Então não sabemos das rendas excessivas da EDP, que tem uma caixa postal na Holanda para onde vão os lucros, os dividendos? Pague o que deve e depois fale. Pague o que deve. Cale-se, por favor!», pediu o deputado do PCP.