O Coordenador Regional do PCP-M e deputado à Assembleia Legislativa da Madeira, Edgar Silva, disse nste domingo que se o Presidente da República, Cavaco Silva, caucionar o acordo PSD/CDS para o País «está a aviltar, a desonrar» os portugueses.

Para Edgar Silva, é «uma baixeza, um aviltamento e uma desonra ao povo português, que tantos sacrifícios têm vindo a sofrer e a cumprir, caucionar uma solução que promove a vice-primeiro-ministro precisamente quem tanto causou prejuízos ao País relativamente aos quais serão, de novo, os portugueses a pagar a fatura».

«Se Cavaco Silva viabilizar esta solução, depois de tudo o que Paulo Portas provocou de forma kafkiana, de nauseabundo e quase impensável será certamente uma situação de aviltamento intolerável», disse.

Edgar Silva considerou ainda que se o Presidente da República, em vez de destituir a Assembleia da República e convocar eleições legislativas antecipadas, optar por sancionar o acordo PSD/CDS, o «país terá descido ao nível de uma qualquer república das bananas» e será «responsável pelo caos político que daí sairá pela patética situação que o PSD e o CDS, ou seja, Passos Coelho e Paulo Portas, criaram» e ainda «ficará diminuído na sua legitimidade e amarrado à situação de caos, quando o povo reclama o fim deste estado de terrorismo social e deste desgoverno já sem legitimidade».