A lista da CDU candidata às legislativas na Madeira criticou esta terça-feira anúncios de projetos que não chegaram a ser concretizados pelo PSD na região, apontando a necessidade de uma central de partidas para os tradicionais carrinhos de cesto.

Foi precisamente no Monte, no Funchal, onde os percursos com estes carrinhos têm início, que o cabeça de lista, Edgar Silva, disse à Lusa que o PSD (partido maioritário na região há quase 40 anos) prometeu construir a central, um «grande investimento público para a criação de melhores condições não só para a operação, como também para o acolhimento digno» dos turistas.

O candidato da coligação (PCP/PEV) lembrou que o projeto estava aprovado e que os sociais-democratas foram ao local «três vezes para pré-inauguração, apresentar a maquete, garantindo financiamento», mas as condições mantiveram-se.

Os carrinhos de cesto, que transportam visitantes por ruas inclinadas e são arrastados por homens que controlam a velocidade, ficam estacionados numa rua estreita, ao ar livre, enquanto aguardam pelos viajantes.

«Este é um dos lugares, à parte de tantos outros, que ajudam a elucidar as mentiras e as mentirolas do PSD de Miguel Albuquerque [cabeça de lista]. Para ele o importante é anunciar, não é prometer. É anunciar, apresentar uma maquete, criar um efeito que tenha impacto noticioso, independentemente de se concretizar», afirmou.

Para Edgar Silva, esta «forma dolosa de compreender a política não serve o futuro do desenvolvimento regional», pelo que importa alertar os menos atentos para os incumprimentos.

O candidato explicou que a central de partidas deveria ter sido já construída com verbas das contrapartidas do jogo do Casino da Madeira, mas lamentou que o Governo Regional, recorrentemente, «canalize essas verbas para outras finalidades».

Segundo a CDU, a requalificação dos miradouros era outro projeto prioritário que deveria avançar também com esse financiamento, já que uma «boa parte» está abandonada.

Mesmo nos dois onde houve uma intervenção - o Pico dos Barcelos e o Cabo Girão - os projetos ainda não estão totalmente concluídos, indicou.

Depois de ouvir preocupações de trabalhadores dos Carreiros do Monte, Edgar Silva lembrou que a CDU tem ouvido continuamente as reivindicações destes funcionários e das populações do Monte e tem levado estas preocupações ao parlamento regional: «Sabem que nós somos um interlocutor consequente»-

Onze forças políticas (oito partidos e três coligações) concorrem às eleições legislativas antecipadas de 29 de março na Madeira. O ato eleitoral foi marcado na sequência da demissão do presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, depois de ter sido substituído na liderança do PSD por Miguel Albuquerque.