O líder parlamentar do PSD fez esta sexta-feira um apelo aos partidos da oposição, nomeadamente o PS, designando-os de «pessimistas», para reconhecerem mais um sinal positivo, a alteração da perspetiva por parte da agência de notação financeira Fitch.

«Não tenho dúvidas de que os partidos da oposição vão alinhar mais uma vez pela desvalorização deste sinal. Apesar de ser uma expectativa, não há dúvida nenhuma de que uma expectativa positiva é melhor do que uma negativa, que era a que tínhamos antes», afirmou Luís Montenegro, nos Passos Perdidos do parlamento.

A Fitch anunciou esta sexta-feira ter atualizado a perspetiva de Portugal de «negativa» para «positiva», embora mantendo o rating de crédito do país em BB+. A medida justificou-se pelos esforços orçamentais acordados por Lisboa e na recuperação geral da economia lusa.

A deputada democrata-cristã Cecília Meireles recebeu como uma «boa notícia» o facto de a Fitch ter alterado a sua perspetiva face à dívida pública portuguesa, um «reganhar da credibilidade». «O CDS obviamente considera esta notícia como uma boa notícia. Ela espelha bem aquilo que é um reganhar e recuperar da credibilidade de Portugal. É muito importante do ponto de vista do regresso aos mercados», disse, nos Passos Perdidos do Parlamento.

Já o deputado comunista Paulo Sá afirmou que as agências de notação financeira se limitam a servir os interesses dos credores de Portugal, reiterando a necessidade de renegociar a dívida externa do país. «Estas agências de notação financeira estão ao serviço e servem os interesses de quem especula com a dívida pública portuguesa, portanto, é natural que a classificação dada por elas reflita a satisfação dos credores com aquele que é um excelente negócio que é a dívida pública portuguesa», disse, nos Passos Perdidos do parlamento.