Pedro Passos Coelho terá beneficiado de um «apagão» e pagou menos 26 meses do que devia à Segurança Social.

A notícia é avançada, este sábado, pelo jornal «Expresso», que explica que o primeiro-ministro sabia que devia mais do que a quantia que pagou.

Passos Coelho: «Não me orgulho de ter tido atrasos na entrega de declarações ao Fisco»

Ainda de acordo com o semanário, a conta corrente da Segurança Social indicava 58 meses por regularizar em 2012. No entanto, o sistema informático apenas contabilizou 32 meses.

Quer isto dizer que o primeiro-ministro teria a pagar mais de sete mil euros, quando em fevereiro pagou apenas cerca de 3900.

Passos Coelho explica ao jornal que foi esse o valor que lhe foi indicado pelos serviços.

O Instituto da Segurança Social emitiu, entretanto, um comunicado onde assegura que o valor avançado pelo semanário é falso, e não corresponde ao que consta do sistema de informação da Segurança Social.