O antigo Presidente da República Mário Soares insistiu, esta quarta-feira, que o atual chefe de Estado, Cavaco Silva, deveria tomar posição sobre a situação do ex-primeiro-ministro José Sócrates, em prisão preventiva há quase dois meses.

Mário Soares visitou esta quarta-feira à tarde, pela terceira vez, o antigo líder socialista, preso preventivamente no Estabelecimento Prisional de Évora.

À saída e questionado pelos jornalistas, Soares afirmou que «gostaria que ele [Cavaco Silva] tomasse» uma posição sobre a situação do ex-primeiro-ministro.

«Ele, como Presidente da República, pode dizer perfeitamente que não está de acordo.» 


O antigo chefe de Estado realçou que Sócrates, quando foi primeiro-ministro, «esteve durante muito tempo a conversar e a atuar» com o Presidente da República, pelo que Cavaco Silva «deve conhecê-lo muito bem e saber que ele é um homem sério».

Questionado sobre se considera José Sócrates um preso político, Mário Soares respondeu: «Claro que é. O que é que ele é senão isso?».

Sobre o estado de José Sócrates, o antigo Presidente da República referiu que «uma pessoa que está há dois meses presa não está com certeza satisfeita».

«Eu não estaria. Eu estive também preso no tempo do Salazar. Sei o que é uma prisão. Dois meses preso sem ir nunca a um tribunal é muito estranho.»


José Sócrates está preso preventivamente no Estabelecimento Prisional de Évora por suspeita de corrupção, branqueamento de capitais e fraude fiscal qualificada, num caso relacionado com alegada ocultação ilícita de património e transações financeiras no valor de vários milhões de euros.

A 21 de novembro de 2014, o antigo líder do PS e ex-primeiro-ministro foi detido e, após interrogatório judicial, ficou em prisão preventiva, após o juiz ter considerado existir perigo de fuga e de perturbação da recolha e da conservação da prova.