O grupo parlamentar do PS vai pedir esta quarta-feira o alargamento do prazo da comissão parlamentar de inquérito à compra de material militar pelo Estado português, prevista terminar dentro de 10 dias, incluindo uma ida à Alemanha.

O deputado José Magalhães já tinha sugerido uma deslocação de membros da Comissão Parlamentar de Inquérito aos Programas de Aquisição de Equipamentos Militares (aeronaves EH-101, P-3 Orion, C-295, F-16, torpedos, submarinos U-209 e blindados Pandur II) a Munique em agosto, mas a interrupção dos trabalhos para férias e a pouca abertura dos restantes partidos fizeram-no retirar a proposta.

Segundo o requerimento a ser apresentado pela tarde, o «depoimento do Sr. Hans-Dieter Mühlenbeck, ex-gestor da Ferrostaal sobre o processo judicial que correu os seus termos no Landgericht München I (Tribunal Regional de Munique I), bem como o respeitante a Jurgen Adolff (ainda em sede de recurso)», além da ausência da véspera do ex-cônsul-honorário português na Baviera Jurgen Adolff, entre outros arguidos, convocados, justificam uma diligência, «com apoio da diplomacia portuguesa, junto do Tribunal de Munique».

Os deputados socialistas requerem ainda que «seja solicitada pela comissão parlamentar de inquérito a prorrogação do prazo para conclusão dos seus trabalhos».

O PS, bem como outros grupos parlamentares, tem ainda pendentes diversos pedidos de documentação e de audição, que devem ser analisados e votados ainda hoje no Parlamento.

O atual secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, o democrata-cristão Paulo Núncio, que foi advogado da empresa austríaca Steyr (comprada pela norte-americana General Dynamics), o assessor do antigo ministro da Economia Álvaro Santos Pereira, Manuel Pinheiro, e o ex-presidente da Empordef, José Manuel Morato, são alguns dos testemunhos exigidos pelos socialistas.

Por seu turno, a maioria, cujo coordenador do CDS-PP, Filipe Lobo d'Ávila tem vindo a alertar para a exiguidade dos prazos e a considerada desnecessária inquirição de mais pessoas, tem também pendente o pedido de informação junto do Ministério da Defesa sobre um eventual concurso com entidades bancárias visando o financiamento da compra dos helicópteros EH101, então da responsabilidade de governos socialistas.