A socióloga Sandra Cardoso substitui, desde esta segunda-feira, na Assembleia da República, o deputado socialista Pedro Marques, que renunciou ao mandato por razões profissionais, disse à agência Lusa fonte partidária.

Eleito pelo círculo de Portalegre e antigo vice-presidente do Grupo Parlamentar do PS, Pedro Marques, que desempenhou também o cargo de secretário de Estado da Segurança Social nos governos liderados por José Sócrates entre 2005 e 2011, renunciou ao seu mandato de deputado para exercer funções no setor da consultadoria.

Sandra Cardoso, de 39 anos, ocupava a terceira posição nas listas do PS nas últimas eleições legislativas, pelo círculo de Portalegre, antecedida pelo atual presidente do município de Elvas, Nuno Mocinha, e de Pedro Marques, que encabeçava a candidatura.

Nuno Mocinha comunicou a semana passada que não estava disponível para ocupar as funções de deputado, afirmando que pretende desempenhar o cargo de presidente de câmara até ao final do mandato.

Sandra Cardoso já tinha, este ano, substituído Pedro Marques na Assembleia da República, entre 20 de fevereiro e 25 de março, quando o deputado apresentou no parlamento licença de paternidade, recorda a Lusa.

Nas eleições primárias socialistas, Pedro Marques esteve ao lado da candidatura vencedora de António Costa, tendo afirmado à Lusa que a sua decisão de renunciar ao mandato de deputado «é uma opção de natureza exclusivamente profissional, depois de ter estado muito tempo em funções políticas em exclusividade».

«Num momento em que se inicia um novo ciclo político no PS, tomo esta decisão» , justificou.

Pedro Marques disse ainda que esta sua decisão de renunciar ao mandato de deputado, para regressar ao setor da atividade que desempenhou antes do exercício de funções políticas, estava prevista para ser tomada logo após as eleições para o Parlamento Europeu, em maio passado.

«Porém, com a candidatura de António Costa às eleições primárias do PS, essa minha decisão ficou em suspenso para colaborar com o seu esforço de vitória. Chegado ao fim o processo interno do PS - e com o conhecimento de António Costa -, abandono a vida política ativa», declarou o ex-secretário de Estado dos ministros socialistas Vieira da Silva e Helena André.